Seu canal de Notícias de Carpina e Região

Após pedir uma ajuda na internet, vendedor de cachorro-quente pede: 'Parem de depositar na minha conta'

A crise ecônomica que vem acompanhando o coronavírus tem feito afetado a muitos comerciantes. A situação se agrava quando falamos de pessoas que tem como único sustento o trabalho informal.

Com o Sr. Joaquim Antônio, mais conhecido como Barruada, não foi diferente. Ele é vendedor de cachorro-quente e tem seu ponto em frente ao Colégio Salesiano Recife, localizado na Rua Dom Bosco, na área central da capital Pernambucana.

Seu Barruada trabalha lá a mais de 30 anos, e muitos o conhecem, tantos estudantes atuais como pessoas que estudaram lá.
Mas devido a pandemia sua única fonte de renda foi afetada, e ele acabou usando as redes sociais para pedir ajuda financeira aos conhecidos. Sensibilizados, alunos e ex-alunos, em sua maioria do Salesiano, juntaram-se e começaram a doar dinheiro para o vendedor.

O pedido deu tão certo, que na última quarta-feira (20), o vendedor postou um vídeo nas redes sociais agradecendo e generosidade de todos e pedindo que as pessoas parassem de doar, pois já havia arrecadado mais que o suficiente. Esse ato de honestidade e gratidão chamou a atenção dos internautas e comoveu a web. 

"Aqui é Barruada, que pediu ajuda a vocês. A gente estava olhando a conta que vocês fizeram os depósitos, e queria que vocês parassem um pouco, por favor. O que vocês me ajudaram já da para eu vencer a batalha. Se eu precisar, eu peço de novo a vocês. Muito obrigado mesmo pela ajuda, vocês me ajudaram muito. Muito obrigado", agradeceu Joaquim Antônio, ou, para os que já tiveram o prazer de comer seu cachorro-quente, Barruada.

Foto: Redes Sociais

Últimos Anúncios