Guia Comercial Online de Carpina e Região

Réus são condenados pelo assassinato de Jota Cândido

Terminou nesta quinta-feira (17) o julgamento dos acusados do assassinato do vereador e radialista Jota Cândido, que foi morto em julho de 2005.

O julgamento que já havia sido adiado por cinco vezes terminou com a condenação por homicídio duplamente qualificado por motivo torpe (Quando não há uma razão para o crime) e por agirem mediante "surpresa", não deixando possibilidade para a vítima se defender. Os condenados foram os policiais militares Edilson Soares Rodrigues, Tairone César da Silva Pereira, André Luiz de Carvalho e o motorista Jorge José da Silva.

O julgamento começou na última quarta-feira (16) e terminou na tarde desta quinta-feira (17), Fórum Rodolpho Aureliano, na área central do Recife. As penas, porém , variaram. André Luiz de Carvalho foi condenado a 21 anos de prisão por ter autuado como organizador da ação criminal. Já Edilson Soares Rodrigues e Tairone César da Silva tiveram sentença de 19 anos - os três, que eram policiais militares, vão para o Centro de Reeducação de Abreu e Lima (Creed). O motorista Jorge José da Silva, teve a pena reduzida para 14 anos, já que não estava no local do crime. Ele participou a partir de empréstimo que forneceu para a compra da moto usada na ação. A defesa de todos os réus recorreram da pena.

Jota Cândido foi morto em 1 de julho de 2005 na cidade de Carpina, quando chegava para o trabalho em uma rádio local. Ele levou 20 tiros ainda dentro do carro, por volta das 6h30. Antes disso, o radialista já havia escapado de outro atentado.

Veja também: Carpina - Casal de empresários foi preso acusados de estelionato